Imagem--------------------------------------------------Imagem
O FÓRUM ESTÁ EM MODO APENAS LEITURA, CADASTROS NO FÓRUM DESATIVADOS, NOVAS POSTAGENS NÃO SERÃO MAIS RESPONDIDAS A PARTIR DE 20/05/2018. SE PRECISAR DE AJUDA, DÚVIDA, OU SEJA O QUE FOR, CLIQUE NA IMAGEM DO TELEGRAM E PEÇA O QUE FOR PELO TELEGRAM DO NEWSINSIDE.

[GERAL] Review de jogos para PSP!

Você acha que nosso trabalho deveria ser mais valorizado/divulgado?

Apesar de todos criarem reviews por que gostam, acho que seria uma boa motivação para ter reviews melhores ainda! :D
8
40%
Acho que assim está bom. Se começar a divulgar vai começar a baixar a qualidade por causa de pessoas que querem se aparecer :n:
1
5%
Divulgando bem e sendo rígido nas qualificações dos reviews, acho que não há problema, até porque todos os reviews deste tópico mantém uma qualidade incrível. :awesome:
9
45%
Divulgar para que? Só vai aparecer mais gente enchendo a porra do saco! Tira essa ideia doida da cabeça PELO AMOR DE DEUS!! :ffuuu:
2
10%
 
Total de votos: 20
Avatar do usuário
Paladin
Usuário
Usuário
Mensagens: 529
Registrado em: 11/09/2009
Consoles: PSP (emulando antigas paixões)
Titulo: Believe in your strength!

04/11/2010

:right: God Of War: Ghost Of Sparta

ImagemImagem

:right: Gênero & Enredo
SpoilerShow
ImagemImagem
ImagemImagem

Como todos da série, Ghost Of Sparta é um Action & Adventure de subgênero, Hack and Slash. Provavelmente é a série que melhor representa esse estilo.
Após os eventos de God Of War I, Kratos tornou-se o deus da guerra, mas visões do passado começaram a assombrá-lo. Visões de um irmão que ele pensava estar a muito morto. Deimos, seu irmão, na verdade estava vivo e sendo mantido prisioneiro. Ao saber disso Kratos parte para Atlântica em busca do caminho e respostas que o levarão até seu irmão.
:right: Jogabilidade & Comandos
SpoilerShow
ImagemImagem
ImagemImagem

Os comandos são os mesmos da série com algumas modificações para os botões do PSP. Os mini-games continuam como era de se esperar. Particularmente achei-os desse mais precisos do que o anterior Chain Of Olympus porque agora aparecem na exata disposição dos botões no PSP. Ou seja: triângulo em cima, X em baixo, quadrado à esquerda e bola à direita.
Como os antecessores da série, Ghost Of Sparta começa com comandos básicos que vão tornando-se mais "complexos" conforme o personagem aprende novos ataques. Existem várias combinações de botões, mas passarei somente as opções básicas iniciais. O resto vocês terão acsso só mais para frente.
  • TRIÂNGULO Ataque forte e segurando joga o inimigo para o alto;
    QUADRADO: Ataque fraco;
    X: Pulo e (ou) pulo duplo se apertado 2x;
    CÍRCULO: Agarrar no chão ou alto, iniciar mini-game e arremessar inimigos que tiverem sido pegos no comando a seguir;
    Direcionais: Serão usados mais para frente para usar magias e trocar de armas
    R: Será usado para ativar um poder em conjunto com as Blades Of Athena...
    L+R+analógico: Evasão
    L+O: Corrida com encontrão
    L: Segurando permite um bloqueio fraco, mas se executado no EXATO momento do ataque inimigo faz um bloqueio que joga o inimigo para trás e (ou) rebate alguns ataques disparados.
:right: Treasures/Extras
SpoilerShow
ImagemImagem
ImagemImagem

CUIDADO SPOILER!
Você habilitará skins como para jogar na dificuldade, e somente nela ou abaixo, em que terminou o game. Ao terminar o game o jogador terá acesso à arena, aos desafios e ao templo de Zeus. Observe que cada nível de dificuldade habilitará uma skin diferente.
No templo de Zeus você poderá usar orbs para destravar skins, extras como videos que mostram TODAS as CGs do jogo em sequência ou outros que explicam fatos não comentados ao longo do jogo, assim como desenhos originais da produção dessa grande obra de arte dos games. Percebam que a história só será completa após destravarem e verem todos os videos dos extras que mostram eventos não esclarecidos ao longo da série.
Você também poderá usar os artefatos adquiridos ao longo do game na Arena ou num novo jogo, mas somente na dificuldade em que terminou o jogo. Esses artefatos facilitam muito o jogo e cada um deles possui efeitos fiferentes, Confiram!
Ps: Para ativar os artefatos, aperte start, em seguida L e coloque ON no que quiser habilitar.
:right: Avaliação do jogo
SpoilerShow
  • Jogabilidade: 10
    Perfeita: Comandos rápidos, precisos e perfeitamente adaptados aos controles do PSP. Sem legs!
  • Audio: 10
    Perfeito: Vozes, música ambiente, tudo ok! Destaque para a dublagem de Kratos.
  • Diversão: 10
    Perfeita: O jogo é extremamente viciante e divertido!
  • Desafio: 05/10
    Variante: Você escolhe. O modo easy, SUPER fácil ou o modo God...que é um INFERNO de tão difícil!
  • Ambientação: 10
    Perfeita: Você se encontrará pasmo, em diversos locais, observando os cenários dessa obra de arte.
  • História: 10
    Perfeita: Alguns dizem que o GOW não tem história. Eu discordo e esse game tem a MELHOR da série.
  • Animações: 10
    Perfeitas: Algo que senti MUITA falta em Chain Of Olympus, mas em Ghost Of Sparta são MUITAS e uma melhor do que a outra.
  • Cutscene: 10
    Perfeitas: Outra nota dez! São frequentes e em geral permitem interação do personagem.
  • Valor de replay: 10
    Perfeito: Toneladas de bônus, desafios e skins que dão vida nova ao jogo.
  • Gráficos: 15
    Perfeitos: Como conseguiram fazer um jogo com gráficos ainda melhores do que o aclamado Chain Of Olympus eu não sei, mas não dá para colocar na mesma categoria dos "pesos-pesados" do PSP, porque está ACIMA de qualquer outro nesse quesito. Destaque para o sangue que quando jorra deixa Kratos todo manchado! Nota 15!!!
    • Prós: - Tudo o que foi descrito até aqui. Mas destaque para os gráficos que ficaram MAIS impressionantes do que as versões de PS2. O trabalho nas sombras é incrível. Destaque para as animações, para o combate final que é AVASSALADOR e para o desfecho da história...
    • Contras:Humm... Poderia dizer que o jogo é curto, mas não seria verdade. O gameplay apenas para terminá-lo fica em torno de 6 a 7h em dificuldades mais baixas, mas no modo god DUPLICA ou TRIPLICA esse valor. Sem falar nos desafios extras e na arena. Esse jogo tem muito conteúdo e apesar de ter um modo principal um tanto breve, achei mais do que suficiente para contar uma história marcante da saga de Kratos. Eu não colocaria um minuto a mais. Contras mesmo? Só o consumo de bateria que é ENORME.
Editado pela última vez por Paladin em 19/07/2011, em um total de 48 vezes.

Avatar do usuário
Kurt
Usuário
Usuário
Mensagens: 1192
Registrado em: 17/07/2009
Consoles: PS3 80Gb; PSP 3k e 2k; PS Vita
Titulo: Be loyal to yourself!
PSN ID: PauloR_27
XLink Kai ID: Kurt_NI
Localização: São Paulo

06/11/2010

:right: The Red Star
Imagem

:right: Jogabilidade
  • Apenas um jogador
:right: Sobre o Jogo
  • The Red Star é um ação/aventura estratégico, fábricado e desenvolvido pela XS Games. Baseado nos quadrinhos de mesmo nome, que nunca ouvi falar. Este jogo é um misto de Hack'n Slash e Shooter, com variação de camera, na sua maioria vista lateral, mas tbm com vista superior, closes, etc... Há uma grande variação de inimigos durante o jogo, mas com certeza os bosses são a atração principal do jogo, procurar seu(s) ponto(s) fraco(s) e desviar de seus ataques, como qualquer jogo que se preze, sua dificuldade aumenta em quanto avança no jogo. O jogo oferece 3 personagens sendo um desbloqueável (ainda não sei como), podendo escolher entre a força e agilidade no começo. Ao final de cada fase você pode dar upgrade nas suas habilidades e armas, podendo facilitar ou não nas próximas fases.
:right: Enredo
  • O jogo não tem história :sadgrape: apenas um tal de Urik vai te mandando pra missões e whatever...
    Mas a história é mais ou menos essa tirado: O game se passa em uma Rússia alternativa chamada URRS, na qual armas futuristas vêm sido desenvolvidas para o exército, conhecido como The Red Fleet. Além de recursos de última tecnologia, o exército ainda é formado por soldados capazes de invocar feitiços.
:right: O que eu acho do jogo
  • Fodástico, uma das palavras para designar este jogaço, com gráficos maravilhos uma jogabilidade perfeita e belos efeitos sonoros, fora os desafio que é crescente no jogo. Vários tipos de inimigo, alguns podendo matar só com ataques corpo a corpo, outros melhor de longe e os chefes muito intensos sempre. O jogo não tem checkpoint, morreu volta tudo, por um lado é bom, mas por outro torna cansativo, morrer no último boss e ter que foltar tudo ffffuuuuu.

    Recomendadíssimo :y: :awesome:
  • Avaliação do jogo (0 a 10)
    • Jogabilidade: 10 - facíl e fluente
    • Gráficos: 9 - Maravilhosos
    • Audio: 9 - Repete, mas a ação é tão intensa que nem parece
    • Diversão: 10
    • Desafio: 10 - Parei do 14º capítulo o chefe me tirou do sério....
  • Prós: Intenso, violento e divertido
  • Contras: Um multiplayer seria legal, um checkpoint no minimo antes do último boss...
Imagem

Avatar do usuário
pedrodumb
Usuário
Usuário
Mensagens: 32
Registrado em: 25/10/2010
Consoles: Ps3, PSP 3001, Xbox360, PC
Titulo: CORRE VIADO , CORRE!
PSN ID: gnskiller
XLink Kai ID: pedrodumb
Localização: Racoon City

23/11/2010

:right: Silent Hill Origin's
Capa do jogoShow
Imagem

ReviewShow
:right: O tema "Terror"
  • O tema de terror nunca foi novidade em games, mais foi com "Resident Evil" (1996), da Capcom, que se popularizou. Isso aconteceu numa época em que os videogames ganharam uma capacidade mais cinematográfica e, com isso, puderam explorar o medo através das imagens. Três anos depois, a Konami resolveu entrar no filão com "Silent Hill", e o fez com maestria, a ponto de transformar o título numa das mais conhecidas franquias dos videogames, com direito a um longa-metragem no cinema.

    Depois de quatro edições para consoles, o game faz sua primeira aparição num videogame portátil. Mas essa transição não foi sem problemas. O desenvolvimento foi turbulento. A princípio, o título teria mais foco nos combates e uma atmosfera menos assustadora, algo que deu certo com "Resident Evil 4". Mas, talvez temendo reações negativas, a Konami desistiu dessa primeira versão e o projeto voltou à estaca zero. Agora, uma produtora externa, a inglesa Climax, foi destacada para tocar a obra.
:right: Onde tudo começou
  • "Silent Hill Origins" tem esse nome por que conta uma história anterior ao do primeiro game e ao filme de longa-metragem, e pretende esclarecer alguns dos mistérios que cercam a cidade que dá o nome à série e sua densa e eterna neblina. Mas também se trata de uma volta às origens no sentido de resgatar o clima do game original e sua mecânica de jogo. Assim, quase não há surpresas, mas, por outro lado, herdou-se a qualidade.

    O protagonista da vez é Travis Grady, um caminhoneiro solitário e insone que tem um episódio traumático em seu passado. Numa noite de tempestade, temendo chegar atrasado para a entrega, ele decide cortar caminho por Silent Hill, mas, como se sabe, coisas estranhas acontecem em seus arredores. No meio do caminho, uma garotinha aparece na estrada e ali começa o inferno do protagonista. A premissa já é mais que manjada pelos fãs da série e estes reverão muitos rostos conhecidos.

    Como os antecessores, "Silent Hill Origins" é um adventure que mescla exploração, quebra-cabeça e combate, num mundo sombrio que traz criaturas horripilantes, quebra-cabeças macabros e uma trama sobre ocultismo. O "jeitão" do game lembra muito o primeiro da série e, mesmo com uma tela pequena, consegue passar a sensação de pavor graças a uma fantástica ambientação.
:right: Um inimigo a mais
  • Um dos pontos mais polêmicos do novo "Silent Hill", ao menos para quem acompanhou os antecessores, são os combates. Nos games passados, os inimigos eram, em grande parte, os motivos do terror, pois representavam uma grande ameaça. Havia armas para combatê-los, mas era preciso economizar a munição, do contrário, poderia faltar quando realmente fosse necessário. Essa é a premissa básica do "horror de sobrevivência", algo que foi diluído em "Origins".

    As armas, apesar de todas serem consumíveis (quebram com o uso e algumas só podem ser utilizadas apenas uma vez), aparecem com certa abundância. Naturalmente, não dá para matar todo mundo que cruza o caminho, mas boa parte dos monstros pode ser evitada facilmente, quando há espaço para manobra. Alguns deles não provocam danos diretamente. Quando estes avançam entra em cena um mini-game de apertar botão. A mira automática garante quase 100% de acerto, principalmente quando estiver usando uma arma de fogo. Mesmo com as mãos vazias, Travis é um cara mais durão que os outros astros de "Silent Hill".

    Talvez, o maior inimigo seja mesmo a câmera. "Silent Hill Origins" tem aquela visão dramática como os "Resident Evil" de antigamente, e isso significa que, muitas vezes, o jogador não tem noção do que acontece à sua frente. Há um botão de centralização de câmera, mas não funciona quando há uma parede por perto atrás do personagem. Some-se a isto uma confusa troca de visão quando se transita de uma cena para outra e o pandemônio está instaurado: o oponente ataca de um ângulo que não pode ser visto. Resta apelar para a mira automática ou tentar fugir.
:right: Andando sobre escombros
  • Já na exploração, a grande mudança é o fato de que o jogador decide quando vai transitar entre o mundo "real" e a sua versão demoníaca. Isso acontece ao tocar em espelhos, e faz com que a aventura seja relativamente mais complexa, pois, afinal, é preciso lidar com dois mapas, e as portas destrancadas em cada um dos mundos estão em locais diferentes. Mas, como grande parte dos cômodos é inacessível, o jogador vislumbra uma "linealidade" mesmo com um mapa tão extenso.

    Os quebra-cabeças continuam macabros e se alternam em dificuldade. Alguns são simples, enquanto outros necessitam de uma solução intrincada, cujas dicas estão nos ambientes, mensagens em paredes e em memorandos. É o caso do boneco usado para simular cirurgias que precisa ter seus órgãos internos recolocados, seguindo uma ordem estabelecida.

    A duração do game não muito grande, mas, tal e qual os antecessores, há vários finais diferentes e muitos extras, que estimular replays. O jogador é avaliado em diversos critérios, como a distância percorrida, número de objetos pegos e quantos inimigos foram mortos através de diferentes métodos (com as mãos, usando armas brancas ou de fogo). Mas não há um sistema de ranking desta vez, e sim algo que se assemelha aos "achievements" do Xbox 360, ou seja, deve-se cumprir critérios para liberar extras, como terminar uma vez o game ou usar a lanterna por menos de três horas.
:right: Tela pequena, grande em tensão
  • A produção de "Silent Hill Origins" continua caprichada, sem dever para as versões para consoles. Mais uma vez, cenários caóticos (hospitais, açougue e hospícios abandonados) preparam o terreno para o horror. Tudo fica ainda mais apavorante nas versões "infernais" das fases, graças a uma trilha sonora macabra e ambientes ainda mais escuros, onde a luz da lanterna aumenta ainda mais a tensão. Jogar num lugar escuro também favorece o jogo.

    Para aproveitar todo o clima de terror, é imprescindível o uso de fones de ouvido. Assim, ouve-se todos os detalhes do áudio, como se algo estivesse se mexendo bem longe, através das paredes. A trilha sonora de Akira Yamaoka, compositor tradicional da série, está fantástica. Independentemente do estilo musical, bem variado, está sempre de acordo com o clima do game, trazendo ainda mais tensão. Já os efeitos sonoros são inconsistentes: o grito indecifrável dos monstros apavora, mas o barulho dos tiros, por exemplo, é fraco.
:right: Considerações
  • "Silent Hill Origins" tem tudo para agradar aos fãs fiéis, pois recria a experiência clássica da série, além de preencher as lacunas sobre muitos dos mistérios que permeiam o universo do jogo. Eles vão se deliciar com as várias referências espalhadas. Quem gosta de um bom game de terror também tem muito a aproveitar, pois poucos títulos conseguem passar tanta tensão. A mecânica de combate não é das melhores, mas "Origins" honra o nome da franquia com uma ótima produção, e explorações e quebra-cabeças meticulosos.
:right: O que eu acho do jogo
  • Avaliação do jogo
    • Jogabilidade: 8/10
    • Gráficos: 7/10
    • Audio: 7/10
    • Diversão: 8/10
    • Desafio: 9/10
  • Prós:Diversos tipos de armas , poder usar socos , bastante envolvimento .
  • Contra:Mira da arma ; até você conseguir mirar no montro ele já te deu uma porrada ...
Imagem

Assinatura? Imagem

O mal sempre renasce...
http://www.youtube.com/watch?v=_lkT2KMkLUQ
CORRE VIADO , CORRE!

Avatar do usuário
dnascimento
Usuário
Usuário
Mensagens: 1165
Registrado em: 20/05/2009
Consoles: 3DSXL, GBA SP, PSP, PSV, PS3
Titulo: Nya!
Live ID: MrNascimento
PSN ID: dnascimento
XLink Kai ID: dnascimento
Localização: Sampa - SP
Contato:

24/11/2010

:right: Monster Hunter Portable 3rd
Imagem

:right: Jogabilidade
  • Single-Player e Multiplayer (AdHoc) até 4 players
:right: Sobre o Jogo
  • Monster Hunter Portable 3rd é o quarto jogo da famosa franquia "Monster Hunter" para PSP. É um jogo totalmente novo (não é uma sequência como o MHFU), baseado no Monster Hunter Tri de Nintendo Wii. Junto com o Game foi lançado também um PSP 3000 edição especial com Bateria extendida para garantir mais tempo de jogo e com um analógico maior, visando melhorar o conforto durante o game.
  • Monster Hunter Portable 3rd Special Model (PSP-3000 Bundle) - Pl…Show
    ImagemImagemImagem
  • O jogo foi lançado no Japão dia 01/12/2010 e vendeu 2 milhões de unidades apenas na primeira semana. Ainda não tem data prevista de lançamento no EUA.
:right: O que há de novo?
  • Monster Hunter Portable 3rd trouxe algumas novidades para a jogabilidade no PSP:
    • Nova Arma: Slash Axe
    • Novos Golpes para armas já existentes
    • Novos monstros e alguns monstros que foram vistos no Monster Hunter Tri.
    • Novo sistema de felynes: Agora você pode levar dois felynes para a caça junto com você.
    • Novo sistema de armas e armaduras para os felynes - Crie armas e armaduras para os felynes com os ítens dos monstros que você caçou.
    • Gathering hall com fonte que recupera vida e estamina.
    • Novo sistema de guild card: Seus amigos te visitam no modo off-line do Gathering Hall podendo te dar ítens e melhorando a qualidade da fonte presente no hall.
:right: Enredo
  • Abertura do jogoShow
    Como todos os outros jogos você é um caçador de alguma vila remota cercada por monstros e feras perigosas que ameaçam os moradores locais. Você como o caçador do vilarejo deve proteger seu povo e evitar que as rotas de comércio se fechem devido aos ataques dos monstros.
    Introdução do JogoShow
:right: O que eu acho do jogo
  • Avaliação do jogo (0 a 10)
    • Jogabilidade: 9 - Jogabilidade pode ser um pouco complicada para quem nunca jogou.
    • Gráficos: 10 - Gráficos lindos, cenários maravilhosos fazem desse jogo um dos mais bonitos do PSP
    • Audio: 8 - Audio na medida certa para dar o clima as batalhas.
    • Diversão: 10 - É impossível não jogar monster hunter com amigos e não ter histórias engraçadas para contar.
    • Desafio: 10 - A dificuldade cresce confome você avança no game, dependendo apenas das habilidades de cada um para "sobreviver" aos novos desafios
  • Prós: O jogo é muito bom e muito grande... e quando eu digo muito grande quero dizer que ele é gigantesco. Pode se preparar para investir muito mais que 200 horas de jogo se você quiser enfrentar todas os desafios que o jogo oferece.
    O mais legal dos jogos da série Monster Hunter é que ao contrário do sistema conhecido nos RPGs o seu personagem não fica mais forte com o passar do tempo e sim fica mais experiente, conhecendo melhor seus inimigos e suas fraquezas para bolar as melhores estratégias para caçar o monstro.
  • Contras: O game por si só é um pouco complicado para quem não está acostumado com os jogos da série, logo o tempo de aprendizado acaba sendo muito grande, o que pode desanimar jogadores de primeira viagem.
    Jogar sozinho é um outro fator que pode tornar o jogo cansativo, já que a grande diversão está na caçada com amigos.
Editado pela última vez por dnascimento em 07/12/2010, em um total de 3 vezes.

Avatar do usuário
Gerps
Usuário
Usuário
Mensagens: 99
Registrado em: 02/02/2010
Consoles: PS2, PSP

07/12/2010

:right: Lego Harry Potter - years 1-4
Imagem

:right: Jogabilidade
  • Por incrível que pareça,apenas 1 jogador!
:right: Sobre o jogo
  • O jogo enfoca os 4 primeiros anos da franquia Harry Potter na versão Lego, seguindo o sucesso de jogos como Lego Batman, Lego Indiana Jones e Lego StarWars. O maior desafio é encontrar itens escondidos como chapeus, cartas de magicos, e red bricks, que liberam alguns itens
:right: Enredo
  • Acho que todo mundo sabe, né? Harry descobre que é bruxo, vai pra uma escola de bruxaria aprender feitiços e lutar contra Voldemort
:right: O que eu achei do jogo
  • Uma única palavra: DECEPÇÃO :ffuuu: :ffuuu: :ffuuu:
  • Avaliação do jogo
    • Jogabilidade: 10 (ate quem nunca viu videogame na vida vai saber jogar)
    • Gráficos: 6
    • Audio: 3 (baseado na iso, sem levar em conta o UMD original)
    • Diversão: 6
  • Prós:
    Poder brincar no universo Harry Potter com peças de Lego
  • Contras:
Aqui tem uma lista enoooooooooooooooorme. Nao que o jogo seja ruim por si só, isso nao. Mas quando comparado a outros que foram lançados há 2, 3 anos atras, o jogo perde de lavada em todos os quesitos.
- GRAFICOS: Escuros e granulados, principalmente nas animações em CGI, que alias, nao duram nem 1 min. Nao da pra entender como regrediram tanto em relação aos outros jogos da franquia Lego.

- SOM: horrivel, sem definição nenhuma, parece radio FM no meio da estrada

- DESAFIO: para crianças. Aliás, o maior erro do jogo foi ter sido feito totalmente voltado para crianças. Vc nao tem inimigos durante as fases. Um ou outro livro voador aqui e ali, uma estatua que se mexe e só. Beeeem diferente da serie Batman, Indiana Jones e Star Wars. Tudo bem que nos livros e filmes o HP tb nao enfrenta inimigos o tempo todo. Mas livro é livro, filme é filme, jogo é jogo. Em Lego HP, o desafio se resume a pegar moedinhas (studs), ou procurar o sapo de alguem, ou o livro de alguem, ou a cueca de alguem. Fizeram do HP um "achados e perdidos" ambulante. :sadgrape: :sadgrape:

Alem disso, o jogo é extremamente entediante e repetitivo. A fase da aula de feitiços se repete milhoes de vezes, e alguns sao muito chatos, como o de transfiguração. Fala serio, toda hora tem que encaixar aquelas peças, irrita demais. Se eu quisesse encaixar peças toda hora eu jogaria Tetris.

Os comandos tb sao repetitivos. O mesmo botao serve pra conjurar um patrono, explodir objetos, fazer alguma magica engraçada, acender a luz, fazer algum objeto aparecer etc. Vc passa o jogo todo só apertando quadrado. Sera que eles nao lembraram que o PSP tem outros 3 botoes? :palm:

Essa minha revolta com o jogo mostra o quanto fiquei desapontado. Gosto demais dos jogos Lego e da serie Harry Potter. Qd vi o trailer do jogo fiquei cheio de expectativa, mas conseguiram retroceder e fazer um jogo digno de PS1. Nem a opção multiplayer cooperativo existe mais!! Como assim??? :evil:

Podiam ter colocado fazes com veiculos. Dava pra dirigir o Noitibus Andante, ou o Carro Voador, ou a moto do Hagrid, ou o Dragao, ou o Hipogrifo...milhoes de coisas.
No Batman cada roupa tem uma habilidade especial. No SW tambem. Aqui tb dava pra ter colocado feitiços exclusivos para cada personagem (Harry sabe soltar patrono e o Ron nao, por exemplo)

Dava pra ter colocado partidas de quadribol, podia ser até um mini-game a parte com campeonato etc. :pedobear:

Enfim, dava pra ter feito muita coisa melhor. Vejo os jogos Lego como os filmes da Pixar: sao sempre maravilhosos e eles sempre conseguem fazer um melhor que o anterior. A serie Lego tb era assim, até aparecer Harry Potter. Deve ter sido praga do Voldemort. :(

Avatar do usuário
sckhar
Usuário
Usuário
Mensagens: 23
Registrado em: 22/09/2010
Consoles: psp,ps2 tijolo =]
Titulo: destiny draw...

20/12/2010

:right: Shining Hearts
Imagem

:right: Jogabilidade
A jogabilidade segue o padrão clássico de RPG com combates estratégicos em turnos utilizando um grupo de quatro personagens. Durante a jornada, o jogador pode fazer missões secundárias, coletar materiais para fabricar itens – inclusive os itens necessários para fazer seus "pães mágicos",o jogo é apenas de um jogador sem modo online :roll:

:right: Sobre o Jogo
o jogo Shining Hearts, RPG para PSP que dá sequência a série Shining,o mapa do jogo é uma ilha que vc pode ir aonde você quiser,você coleta coraçoes conversando com outros personagens,com os coraçoes você pode usar skill ou magic de seus personagens, tbm pode dar pães para ganhar mais coração dos personagens que vc acha pelo jogo,isso tudo ajuda seu personagen a evoluir mais :D

:right: Enredo
O personagem principal se chama Rick(guerreiro padeiro magico :dorgas: ), um guerreiro que tem sua vida de combates interrompida para virar padeiro em uma ilha pacata – e, segundo a Famitsu, a padaria é "mágica". Além dele, há três irmãs com as quais é possível flertar ao longo do jogo para tentar se envolver com uma delas... Ou não, se não quiser perder tempo com isso...
A aventura começa quando Kaguya, uma jovem misteriosa sem memórias nem emoções, chega à ilha e faz com que o lugar vire alvo de piratas em busca do colar que ela usa. A trama se desenvolve a partir disso e o jogador deve explorar áreas além da ilha com um barco que também serve como um abrigo

:right: O que eu achei do jogo
eu simplesmente achei o jogo perfeito e lindo ao mesmo tempo ele foi muito bem trabalhado...o jogo muda o horario para dia tarde e noite..você fala com os personagens do jogo, você participa mais no modo history, porque você tem a liberdade de responder respostas diferentes na hora que te perguntam algo , é muito bem feito, eu sempre esperei um rpg assim pro psp (meu sonho foi realizado) :y:
:!: Avaliação do jogo
:star: Jogabilidade: 10 (clássico de RPG,ataque em turno :) )
:star: Gráficos : 10 (lembra yu-gi-oh tag force 4 :dorgas: )
:star: Audio: 10 (a trilha sonora está aos cuidados de Hiroki Kikuta, o mesmo compositor de Secret of Mana :whistle: )
:star: diversão: 10 ( :y: )

:!: Prós:
para quem é fã de RPG vai ser obrigado a jogar esse jogo.. :y:
:!: Contras:
acho q o unico ponto fraco do jogo é do mapa ser um pouco pequeno..porque ele poderia ser maior :n:
''Like reflections on the page,The world's what you create''

Avatar do usuário
Hana_Song
Usuário
Usuário
Mensagens: 304
Registrado em: 25/01/2010
Consoles: All
Titulo: Is this easy mode?
Localização: South Korea

23/12/2010

:right: The 3rd Birthday

Imagem

:right: Jogabilidade
1 Jogador

:right: Sobre o jogo
The 3rd Birthday é um RPG com elementos de ação, produzido pela Square Enix. The 3rd Birthday, é o terceiro título da serie Parasite Eve, ele foi primeiramente anunciado para telefones celulares mais depois foi confirmado exclusivamente para PSP.
O jogo foi lançado no Japão no dia 22 de dezembro de 2010 e está previsto para lançamento na Europa e na America do norte no primeiro semestre de 2011.

:right: Enredo
SpoilerShow
Você controla Aya Brea, protagonista das series anteriores, que agora está com 39 anos, mais graças a suas mitochondrias ela continua (gostosa) com a aparência de antes.
Alguns personagens dos jogos anteriores reaparecem no jogo como Eve Brea, Kyle Madigan de PE2, e Kunihiko Maeda de PE 1.
Criaturas conhecidas como The Twisted invadem Manhattan, Aya agora é um membro do CTI (Counter Twisted Investigation), quem tem como objetivo eliminar as criaturas denominadas Twisted.
Aya perde parte de sua memória antes dos eventos do jogo e esta tentando descobrir o que aconteceu com sua irmã, já que ela não se recorda dos eventos.
:right: Controles
X - Rolar
O - Jogar granada
Quadrado - Atirar
Triângulo - Usar a habilidade Overdive
R - Mirar
L - Mostrar invertorio de armas
Analogico- Movimenta Aya
Direcional- Controla a câmera

:right: Informações na tela
SpoilerShow
Imagem
Azul Escuro: Barra de life,se você ficar sem se movimentar ela vai aumentar com o passar do tempo.
Verde Claro:Quando esta barra estiver cheia você pode liberar os poderes de Aya.
Vermelho: Arma que esta equipada, os 3 primeiros dígitos são quantas balas estão carregadas e os outros 3 dígitos são quantos balas você tem .
Roxa:Armas que você possui no momento.
Laranja:Número de granadas que você possui.
Verde Escuro:Soldados disponíveis para usar o Overdive.
Azul Claro:Radar, mostra sua posição, posição de seus soldados, inimigos e a direção que você deve seguir.
ImagemNesse menu você pode desenvolver suas habilidades no OE settings.No Weapon Bank você pode equipar e desenvolver suas armas usando seus BP (bount points)que são pontos que você consegui matando inimigos.Mudar sua roupas no Protective Gear .E por ultimo você pode ver em que nível cada habilidade sua se encontra(como velocidade de carregar a arma, tempo de sua barra de life subir e etc) e quanto de experiência você tem com cada arma (agora que eu percebi passei o jogo todo usando handgun :sadgrape: :awesome: )
Esse menu você só pode acessar pelos computadores espalhados pelo jogo.
:right: Gameplay
SpoilerShow
Como falei antes o jogo é um jogo de ação com elementos de RPG, você pode fazer uso de suas armas durante o jogo e granadas (infelizmente Aya não tem magias como nos jogos anteriores), o jogo também tem elementos limitados de tiro em terceira pessoa
No gameplay uma das coisas que mais chamam a atenção é a habilidade de Aya , Overdive, que permite que você troque de corpos com seus soldados ou civis ou entrar nos corpos de seus inimigos em certos momentos e causar danos.Com isso você pode se salvar da morte se outros soldados seus estiveram próximos, ou ir para lugares que você não poderia chegar com outros soldados.
Cada soldado possui uma arma, quando você toma controle dele você consegui usar essa arma junto com as outras 3 que você escolhe antes de começar a missão ou em save points.
Imagem
Antes de selecionar um soldado para usar o Overdive informações sobre a quantidade de life, a arma que ele possui e quantos balas ela tem sobrando, são mostrados na tela.
Você também pode fazer com que seus soldados se concentrem em apenas um inimigo e usem todo seus poder de fogo nele, causadam danos a eles muito rapidamente (esse estado não dura muito tempo mais você pode sempre, usar-lo de novo desde que seus soldados estejam na area e tenham visão do alvo).
Você pode liberar os poderes de Aya quando sua barra Liberation estiver cheia e fazer com que ela desvie de ataques automaticamente, deixar ela mais veloz , e também aumentar o poder de fogo de sua arma(ela sempre usara a mesma arma nesse modo e não podera utilizar granadas)esse modo tem curta duração mais ajuda muito se você usa-lo com sabedoria :ugeek:
Conforme você leva danos de seus inimigos suas roupas começão a rasgar fazendo com que ( :fap: :fap: :dorgas: ) sua defesa diminua e golpes de seus inimigos iram fazer mais efeitos.
:right: O que eu achei do jogo
O jogo está muito FODA , gráficos perfeitos, a jogabilidade também, a trilha sonora se enquadra com cada cenário.

Avaliação do jogo (0 a 10)
o Jogabilidade:9,5
o Gráficos:10
o Audio:10
o Diversão: 10
o Desafio: 8,9 - Tem que começar o jogo no hard.
o História: 10

Prós:O jogo tem uma grande variações de armas, os graficos ficaram perfeitos, não é dificil de se acostumar com os comandos.


Contras:Como falei antes Aya não usa mais magia como nos jogos anteriores e podiam ter colocado aqueles puzzles fodões que tinha no parasite eve 2.
Editado pela última vez por Hana_Song em 29/12/2010, em um total de 28 vezes.
FORMER ZACKFAIL
"A choice is better than none" - "Even if you wake up the next day regretting the choice that you made?"

Avatar do usuário
T1000
Moderador - Xbox
Moderador - Xbox
Mensagens: 5228
Registrado em: 24/12/2009
Consoles: PS2+PES+TIME DO FORUM
Live ID: TheT1000BR
PSN ID: Firma_Zuera
XLink Kai ID: T1000NI
Localização: Santo André - SP
Contato:

01/01/2011

:right: Bomberman Land

Imagem

:right: Jogabilidade
  • Bem simples,tanto no modo História,como no Battle Mode.Da pra jogar de 1-4 player(offline ou ad hoc)
:right: Sobre o jogo
  • Bomberman land é um jogo que você controla um bomberman ( :dawg: )e faz batalhas,onde o objetivo é "matar"seu oponente com bombas.Além de batalhas de bombas,bomberman land também conta com um modo história,onde você faz uns mini-games,pra conseguir peças,que ao ir juntando,vai abrindo mais partes do mapa.Ao todo,são 50 mini-games,que depois de ganhos no modo história,são liberados para jogar a qualquer hora,no sessão collections,localizada no menu principal.
:right: Comandos

  • TRIANGULO

    No Battle Mode,TRIANGULO não tem função,já no modo história,o botão abre o menu de opções.
  • CIRCULO

    A unica utilidade do CIRCULO no jogo,é pra retroceder,por exemplo,você entra no menu e aperta o CIRCULO para retroceder.As vezes se usa nos mini-games.
  • X

    No Battle Mode X,implanta a bomba.
    No modo história ele entra nos mini-games e é o botão mais usado na pratica dos mini-games.
  • QUADRADO

    Não é usado no Battle Mode,no modo história,serve somente para ocultar/mostrar umas trilhas no mapa.É usado em alguns mini-games.
  • L/R

    No modo história,L,usa o "warp",que move você para uma zona do mapa,a sua escolha e R,serve pra indicar como está a situação de tal lugar.Se ela esta OK,se ainda falta jogar algum mini-game,se tem alguma peça para pegar,etc.
    No Battle Mode,esses botões não são usados.
:right: O que acho do jogo
  • Avaliação do jogo
    • Jogabilidade: 8
    • Gráfico: 4
    • Audio: 4
    • Diversão: 10
    • Desafio: 9
  • Prós: Os mini-games são muitos legais,divertem muito..;
  • Contras:Modo Battle,poderia ter graficos melhores,mais upgrades de poderes,e mais opções de jogo
Editado pela última vez por hunter0617 em 12/01/2011, em um total de 8 vezes.
Razão: Arrumei a tag list.
-Faço serviço de desbloqueio Xbox 360(Ixtreme e Reset Glitch),interessados Clique Aqui ou entrar em contato pelo e-mail satimara12@hotmail.com.

Avatar do usuário
sharingandac
Usuário
Usuário
Mensagens: 96
Registrado em: 28/08/2010
Consoles: 360,Wii,PSP,DS,PS3
Titulo: Maldito Kakaroto
PSN ID: dacio9

02/01/2011

:right: Medal Of Honor Heroes 2
Imagem

:right: Jogabilidade
  • Tipico FPS no psp,so que com um online espetacular(1-32 jogadores)
:right: Sobre o Jogo
  • Nesse medal of honor,voce esta no front da segunda guerra mundial(SURPRISE!),Mas o diferencial e que ele nao cobre as missoes famosas,mas sim missoes que foram ofuscadas pelas aquelas mais famosas
:right: Enredo
  • Vou admitir pra voces que eu nao entendi necas do enredo como estava jogando a versao francesa,mas entendi uma coisa,essas missoes menos famosas...
    Elas realmente fazem o jogo parecer melhor do que outros fps,me animando bastante

:right: O que eu acho do jogo
  • Se fosse considerar o modo historia,ficaria com notas medianas como qualquer outro fps do PSP,mas o grande diferencial e a possibilidade de 32 pessoas online SEM PRECISAR DE PSN!,eu achei isso uma grande coisa,alem de nao da lag algum...
  • Avaliação do jogo (0 a 10)
    • Jogabilidade: 5
    • Gráficos: 6
    • Audio: 2(tirso e mais tiros...)
    • Diversão:7
    • Desafio: 8
  • Prós:Online espetacular
  • Contras:Campanha fraca e jogabilidade meia travada...
Se eu te ajudei,fiz voce rir, ou voce gostou do que eu falei,de um incentivo pra eu continuar assim,clique no joinha....
Cuidado com seus aparelhos eletronicos,eles podem ta tramando contra voce...
Um forum bom e que aquele que os membros se respeitam...Mas que saibam brincar tambem!

Avatar do usuário
T1000
Moderador - Xbox
Moderador - Xbox
Mensagens: 5228
Registrado em: 24/12/2009
Consoles: PS2+PES+TIME DO FORUM
Live ID: TheT1000BR
PSN ID: Firma_Zuera
XLink Kai ID: T1000NI
Localização: Santo André - SP
Contato:

02/01/2011

:right: Worms: Open Warfare 2

Imagem

:right: Jogabilidade
  • Simples,sem muitos segredos,domente mover pra esquerda/direita,mirar e atirar.Você pode jogar a campanha em 1 player,de 2-4 playes via ad hoc.Ele tinha o Infrastuctrure Mode,mas não era a psn,então os servidores pararam de funcionar e hoje não da mais pra jogar ele por esse modo.
:right: Sobre o jogo
  • Worms Open warfare 2 é um jogo em que você controlas um time de "minhocas assassinas" e fazem uma batalha de times.Há um total de 33 armas no máximo,incluindo ofensivas e defensivas.Ele conta com o modo campanha,que você faz desafios(como enfrentar times com maior número de soldados,etc) e também com um multiplayer que é igual a uma batalha normal.Outro ponto que é legal citar é a variedade de mapas que o jogo tem.
:right: Comandos
  • TRIANGULO

    Praticamente não tem função na batalha.
  • CIRCULO

    Este botão abre o menus de armas,para você escolhar a arma que deseja usar em seu turno.
  • X

    Você usa o X,para usar a arma.Atirar com a bazooka,chamar aeromisseis,jogar granadas,etc.
  • QUADRADO

    QUADRADO,serve pra pular.Ao aperta uma vez o quadrado,ele da uma pulo baixo para frente,e se apertar duas vezes seguidas ele da uma cambalhota alta para trás.
  • L/R

    Com L/R,você da zoom no mapa do jogo,sendo que R diminue o zoom,e L aumenta.
:right: O que acho do jogo
  • Avaliação do jogo
    • Jogabilidade: 9
    • Gráfico: 5
    • Audio: 6
    • Diversão: 10
    • Desafio: 8
  • Prós: Muito divertido,jogabilidade simples e grande variedade de mapas de jogo.;
  • Contras:Modo campanha muito curto e poderia ter mais armas
Editado pela última vez por hunter0617 em 12/01/2011, em um total de 1 vez.
Razão: Arrumei a tag list.
-Faço serviço de desbloqueio Xbox 360(Ixtreme e Reset Glitch),interessados Clique Aqui ou entrar em contato pelo e-mail satimara12@hotmail.com.

Responder
  • Informação
  • Quem está online

    Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante