Ver mensagens sem resposta | Ver tópicos ativos | Ver tópicos novos Hoje é 08/12/2016
Novo anúncio global importante!




Responder Tópico  [ 13 Mensagens ]  Ir para a página 1, 2  Próximo
"Por que você não nasceu para ter um emprego" 
Autor Mensagem
Usuário
Usuário
Avatar de usuário
Squirtle, squirtle!

Localização: ES
Consoles: 24 no total.
Live ID: Macakaio
PSN ID: greencezar
Karma: Ajudante(?)
Responder com citação
Mensagem "Por que você não nasceu para ter um emprego"
Esses últimos tempos eu venho me questionando sobre algumas coisas em relação ao meu futuro profissional e acadêmico, principalmente se gosto do que faço ou irei gostar do que fazer quando me formar. E então me deparei com o seguinte texto:

http://gustavotanaka.com.br/por-que-voc ... m-emprego/

No final do texto - assumindo que alguém lerá -, ele propõe um sistema empregatício diferente.
Vocês acham que esse sistema realmente funcionaria na prática?
Ou se, caso funcione, precisa de alguns ajustes?

Eu fiquei curioso e gostaria de ouvir a opinião de pessoas mais experientes, que já devem ter passado por diversas situações profissionais e acadêmicas. Ou até mesmo que convivam com pessoas que possam compartilhar experiências.

_________________
Imagem
Imagem

Imagem


Editado pela última vez por RedMonkey em 29/10/2015, num total de 1 vez



29/10/2015
Karma desse Post: 0 
Offline Perfil
Usuário
Usuário
Avatar de usuário

Consoles: Muitos...
Live ID: Piro_ManiakONE
PSN ID: Piro_Maniak
Karma: Serious Business(?)
Responder com citação
Mensagem Re: "Por que você não nasceu para ter um emprego"
Não vejo esse modelo como futuro.
Consigo ver esse modelo funcionando apenas em pequenas empresas, para um tipo de trabalho especifico e entre amigos/conhecidos.

Como você mediria o tempo de trabalho do cara ? No outro texto dele, existe a ideia de pagamento por horas trabalhadas, sentar na frente do computador por 15 horas ja me dá direito a 25% do Salario. Só por isso eu acho que a ideia não vai pra frente, enquanto um pode fazer as coisas certinho, outros podem se aproveitar.

E para mim, "Talvez nada disso aconteça. Ou talvez aconteça. E aí quando acontecer a gente vai achar um jeito de resolver." não me vale de nada.


Estou trabalhando a 3 anos na mesma empresa, de capital misto. Por ser capital misto tenho certos direitos que nenhum funcionário de uma empresa privada tem. Ja vi de tudo nesses 3 anos, pessoas que se matam de trabalhar e pessoas que não fazem nada. Para mim, não é um modelo de empresa que vai mudar o ser humano.

_________________
Imagem


29/10/2015
Karma desse Post: 0 
Offline Perfil
Usuário
Usuário
Avatar de usuário
Subway!

Localização: Rio de Janeiro
Consoles: PSP, PS3, PS4, PC
PSN ID: white_pad
Karma: Ajudante(?)
Responder com citação
Mensagem Re: "Por que você não nasceu para ter um emprego"
Não tenho experiência com trabalho, mas "adorei" como ele escreve, e com certeza, que NINGUÉM gosta do que faz, em 7bi de pessoas e NINGUÉM gosta do que faz, isso soa Marx demais pro meu gosto, o texto todo tem essa vibe. Aliás, ele só escreve pra alguém que gosta do que faz no fim do texto, okay.

Estudo Eletromecânica e tenho de hobby a informática, again, sem experiência com trabalho mesmo, começo estagiar ano que vem só. Concordo que o tédio uma hora bate, mas eu ainda gosto da minha área e gosto do meu hobby. Acho muito dificil desgostar disso e bem mais provável não gostar do ambiente de trabalho/pessoas com que trabalho e se eu me sentir assim dou um jeito, se estiver no desespero, arco com as consequências e tento continuar, it happens.

Nosso autor ali parece perdido do que gosta de fazer e que nunca trabalhou num lugar "certo" pra ele, acontece, mas imaginar que o mundo todo tem essa vibe é narcisismo de mais pra mim.


Citação:
Não é utopia nem viagem minha.


LOL

_________________
Nick Anterior: White_Paladin
Imagem


29/10/2015
Karma desse Post: 0 
Offline Perfil
Site Admin
Site Admin
Avatar de usuário

Localização: Paraíso do nordeste, Aracaju
Consoles: DSi,PSP,PSVita,NES, PC fodinha
Karma: Serious Business(?)
Responder com citação
Mensagem Re: "Por que você não nasceu para ter um emprego"
Depende muito kaiobj, da área que você quer trabalhar e com o que e ONDE.
Aqui em Aracaju mesmo é um paraíso para a área de TI, o mercado é grande o suficiente para ter várias oportunidades mas escasso de profissionais qualificados, já em São Paulo ou Salvador não daria para fazer o mesmo.

Eu me juntei com uma colega que já tinha CNPJ e mais 2 colaboradores dela para fazere algo parecido com o que o cara sugere, definimos certa porcentagem de distribuição de $ para a área dependendo da atuação de cada um de nos 4 na tal área, basicamente fiquei com Desenvolvimento e teste de sistemas (junto com o programador), Telefonia VOIP e PABX/ramal (com minha colega) e automação comercial/servidores/manutenção (sozinho e com minha colega), mas isso me parece uma forma de empreendedorismo diferente onde você é "sócio" e funcionário ao mesmo tempo, vamos ver o que vai acontecer mas estou otimista. :awesome:

Tabalhar TODO dia 8h por dia em horários fixos não é para mim, sou mais produtivo fazendo coisas de produção remotamente e estudando desenvolvimento de novas soluções e me aperfeiçoando nos produtos qe oferecemos suporte.

_________________
ImagemImagem <-- \o/ --> Imagem
ImagemImagem

Quer algo relacionado a emulação? Me manda um Imagem.


29/10/2015
Karma desse Post: 0 
Offline Perfil
Moderador - NDS
Moderador - NDS
Avatar de usuário
Cirilla of Vengerberg <3

Localização: Hell de Janeiro
Consoles: PSP, PS4, PS3, Vita, 3DS, WiiU
PSN ID: TearRehem
Karma: Serious Business(?)
Responder com citação
Mensagem Re: "Por que você não nasceu para ter um emprego"
Piro_Maniac escreveu:
Não vejo esse modelo como futuro.
Consigo ver esse modelo funcionando apenas em pequenas empresas, para um tipo de trabalho especifico e entre amigos/conhecidos.

Como você mediria o tempo de trabalho do cara ? No outro texto dele, existe a ideia de pagamento por horas trabalhadas, sentar na frente do computador por 15 horas ja me dá direito a 25% do Salario. Só por isso eu acho que a ideia não vai pra frente, enquanto um pode fazer as coisas certinho, outros podem se aproveitar.

E para mim, "Talvez nada disso aconteça. Ou talvez aconteça. E aí quando acontecer a gente vai achar um jeito de resolver." não me vale de nada.


Estou trabalhando a 3 anos na mesma empresa, de capital misto. Por ser capital misto tenho certos direitos que nenhum funcionário de uma empresa privada tem. Ja vi de tudo nesses 3 anos, pessoas que se matam de trabalhar e pessoas que não fazem nada. Para mim, não é um modelo de empresa que vai mudar o ser humano.
This :up:
Detalhe é que essas pessoas que não fazem nada morrem de inveja do que as pessoas que fazem, recebem. E ainda vão reclamar com os superiores de que x pessoa tá ganhando demais.
E esse "jeito de resolver", já vi o jeito de resolver do irmão do sogro do meu irmão, que sumiu com o dinheiro da empresa e deixou o próprio irmão afundado em dívidas.

Já vi de tudo aqui na empresa, isso pq é uma LTDA que eventualmente faz trabalho pra S/A.
RANT mostrar
Já vi quem se aproveita do trabalho dos outros e se tiver bom diz que é seu, se tiver ruim diz que foi o outro que fez; já vi quem se enfiava no banheiro com um laptop pra não trabalhar; já vi nego inventar mil desculpas pra roubar equipamentos; já ouvi o famoso "me assaltaram logo depois que eu recebi salário"; já vi quererem receber duas vezes pela mesma coisa; já vi sócio roubar sócio; já vi extorsão no setor de compras; já vi comissão rolar adoidado pq indicaram amigo de amigo pra fazer um bico; já vi estelionato (falsificaram a assinatura do diretor pra comprar mais de 100k em equipamentos pra empresa de um amigo do pilantra, BO foi feito pela empresa que recebeu o pedido); já vi mandarem o cara cortar tubo pra vender e botarem a culpa no cara que cortou dizendo que agiu sozinho; já vi ameaçarem a vida do diretor depois de 3 meses de trabalho pra ser demitido e receber seguro desemprego (na época que isso ainda funcionava).
Vi coisa bagarai.

Esse modelo NUNCA irá pra frente com a população brasileira, pq é uma população mesquinha, onde a maioria não se importa em pisar nos outros pra se dar bem.
3 funcionários saíram daqui pra abrir uma empresa. Cada um fazia uma coisa. E 1 já voltou pra cá, pq os outros exploravam o trabalho dele e ficavam com a maior parte do valor.
E isso acontece de monte, nego encostado. Só ver muito funcionário público encostado, tem de monte. Assim como tem funcionário público que trabalha bastante também.

Não sou contra um sistema meritocrático, sou contra a aplicação de alguns. A AMBEV por exemplo, puxa tanto, mas tanto que muita gente pede pra sair, e é meritocracia.

Pra mim, o horário deveria ser flexível, tem gente que trabalha melhor à noite, por exemplo. O que deveria importar é o resultado, não o horário que faz.
Sou fã do sistema da Google, tem que apresentar tal coisa tal data, não precisa aparecer no escritório. Pode fazer no meio da praia, contanto que faça.

EDIT: Esqueci de falar da eficiência.
Não necessariamente quem fica 15 horas na frente do PC vai produzir mais que uma pessoa que fique 10 horas na frente do PC. Cada um tem o seu ritmo de produção. Como ficaria o "salário" nessa situação?
Já vi pessoas que em 2 horas montaram tabelas lindas com todas as informações de embarque que eram necessárias pro mês. E outra pessoa que estava incumbida da mesma tarefa, mas onshore (na fábrica), em um dia inteiro de trabalho não conseguiu montar metade da tabela. Na época era metade dos funcionários embarcados, metade na fábrica.
E aí? Como fica?

_________________
Imagem Imagem > hahaha Imagem
Lista (em atualização) de jogos PS3/4 e PSVita - Isto não é um fórum! Isto aqui é um hospício! - by Eddie


30/10/2015
Karma desse Post: 0 
Offline Perfil
Usuário
Usuário
Avatar de usuário

Consoles: Muitos...
Live ID: Piro_ManiakONE
PSN ID: Piro_Maniak
Karma: Serious Business(?)
Responder com citação
Mensagem Re: "Por que você não nasceu para ter um emprego"
Mas aqui a pessoa que não faz nada se da melhor que o cara que se mata de trabalhar...

_________________
Imagem


30/10/2015
Karma desse Post: 0 
Offline Perfil
Moderador - PSP
Moderador - PSP
Avatar de usuário
Godzilla Old School Gamer!

Consoles: Portable + Emulators = Epic!
PSN ID: Stranger_Eddie
Karma: Serious Business(?)
Responder com citação
Mensagem Re:
Piro_Maniac escreveu:
Mas aqui a pessoa que não faz nada se da melhor que o cara que se mata de trabalhar...


Digamos que esta raça eu também conheço... Se chamam ASPÔNES! :dorgas:

_________________
Imagem


30/10/2015
Karma desse Post: 0 
Offline Perfil
Usuário
Usuário
Avatar de usuário
Squirtle, squirtle!

Localização: ES
Consoles: 24 no total.
Live ID: Macakaio
PSN ID: greencezar
Karma: Ajudante(?)
Responder com citação
Mensagem Re: "Por que você não nasceu para ter um emprego"
Primeiramente, gostaria de agradecer a todos vocês pelas opiniões e experiências. Aqui tem a segunda parte do texto; talvez dê uma ideia mais clara da intenção do autor com sua ideia.

http://gustavotanaka.com.br/como-comece ... orizontal/

Antes de prosseguir, eu não sou o autor do artigo, tampouco estou fazendo isso como uma pesquisa de mercado ou algo assim. É que vocês fazem parte dos meus poucos círculos com pessoas maduras o suficiente pra conversar a respeito disso, além das experiências que cada um contém aqui.

_________________
Imagem
Imagem

Imagem


31/10/2015
Karma desse Post: 0 
Offline Perfil
Site Admin
Site Admin
Avatar de usuário

Localização: Paraíso do nordeste, Aracaju
Consoles: DSi,PSP,PSVita,NES, PC fodinha
Karma: Serious Business(?)
Responder com citação
Mensagem Re: "Por que você não nasceu para ter um emprego"
Esses textos estão fantásticos, o problema é que sistemas assim só funcionam com menos de 6 pessoas, nós em grande número só não nos matamos uns aos outros por causa da lei e punição.
Pessoas individualmente podem ser boas, mas a humanidade é um monte de filho da puta.

_________________
ImagemImagem <-- \o/ --> Imagem
ImagemImagem

Quer algo relacionado a emulação? Me manda um Imagem.


31/10/2015
Karma desse Post: 0 
Offline Perfil
Moderador Global
Moderador Global
Avatar de usuário
Fera meu!

Localização: Campinas
Consoles: Wii,PSP,DS,PS1,PS2,PS3,DC,GBC
PSN ID: limpumper
Karma: Ajudante(?)
Responder com citação
Mensagem Re: "Por que você não nasceu para ter um emprego"
Esse sistema, pra mim, não rola. A liberdade muitas vezes gera ociosidade.
A meritocracia é necessária, e existem percepções de bom desempenho (é algo subjetivo). Sempre existirá hierarquia. Até em um modelo horizontal (ou o modelo de empresa rede que já empregado em muitas empresas), existe a hierarquia por responsabilidade.
Imagina você indo em um lugar e ser mau atendido. Ai você quer reclamar com o chefe e ele fala "Não.. eu sou o que manda aqui".. Como um negócio/empresa/sistema assim funcionaria?

Entendam que o nosso sistema é assim de trabalho é assim. Além de cultural. Se você olhar no Japão, a galera trampa 12 horas por dia de boa. Na França ninguém trampa mais que 6 horas, e as 17hs todos estão sentados no parque fazendo pique nique. No Brasil, se você der liberdade o cara num vai fazer nada. É assim, e ponto.

Sobre gostar do que vai fazer, é relativo. Eu sempre falei minha juventude toda que:
1 - Nunca trabalharia em Call Center
2 - Nunca seria professor

Desfecho da história: Fui dar treinamento em uma empresa de Call Center. Consegui juntar os dois. E foi uma experiência muito legal. Segui com outros sentidos de carreira, mas trabalho há 10 anos em uma empresa de Call Center. Não posso dizer que AMO o que faço. Mas também não desgosto. Essa coisa de fazer o que se ama é maior balela. Uma vez minha empresa divulgou um texto sobre isso, e eu gostei muito. Guardei o texto e as vezes o leio. Vou compartilhar aqui com vocês.

Spoiler: mostrar
Trabalho precisa de amor?

Publicado em sexta-feira, 5 de setembro de 2014

A ideia de que é preciso ser apaixonado pelo trabalho para ter sucesso virou um mantra. Mas esse assunto exige mais discussão Em 2005, Steve Jobs fez um discurso emocionante para 23.000 alunos da Universidade Stanford, na Califórnia, numa cerimônia de formatura.
De lá para cá, o vídeo do evento já foi assistido mais de 20 milhões de vezes no YouTube. Em determinado momento de sua fala, Jobs crava: “Você tem de encontrar o que você ama. A única maneira de fazer um excelente trabalho é amar o que faz. Se você ainda não encontrou, continue procurando, e não se acomode”.
O texto do genial fundador da Apple serviu como um grande reforço para a ideia de que associar trabalho à satisfação é um componente essencial do sucesso. Muita gente toma esse raciocínio como verdade absoluta, mas ele não explica algumas questões. Por exemplo: o que fazer com os milhões de profissionais que são ótimos fazendo um trabalho que detestam? E como explicar aqueles que adoram o que fazem, mas têm um desempenho ruim? Talvez seja preciso investigar melhor o discurso da paixão pelo fazer.

Foi o que fez Cal Newport, professor de ciência da computação na Universidade de Georgetown, em Washington. Em 2010, ele ficou obcecado pela ideia de responder a uma pergunta simples: “Por que algumas pessoas acabam amando sua carreira e outras não?”. O professor foi investigar profissionais que faziam o que amavam nas mais variadas atividades — agricultores, músicos, roteiristas, investidores de risco, programadores.

Cal tinha a tese de que seguir uma vocação inicial não era exatamente o caminho mais eficaz para ter amor pelo trabalho. O resultado da investigação está no livro So Good They Can’t Ignore You (“Tão bom que eles não podem ignorá-lo”, numa tradução livre, inédito no Brasil, 26 dólares na Amazon). “Essa premissa do faça o que você ama é muito sedutora, mas é falsa porque a maioria das pessoas não é programada para amar determinado tipo de trabalho”, diz Cal.

Ao estudar pessoas que acabaram apaixonadas pela carreira, o professor percebeu que na maior parte dos casos o amor pelo trabalho se desenvolve ao longo do tempo, conforme as pessoas moldam a vida profissional de maneira significativa. O processo de construção seria, portanto, mais importante para a satisfação do que a escolha inicial com base em uma suposta preferência.
A opinião de Cal é semelhante à de outros especialistas como Rafael Alcadipani, professor da Fundação Getulio Vargas de São Paulo. “Os motivos para uma pessoa ficar insatisfeita com o trabalho são diversos, mas a satisfação raramente tem a ver com alguma inclinação preexistente”, afirma Rafael.
Amar o ofício talvez seja mais simples para quem ocupa um cargo de destaque ou tem um negócio de sucesso — o que explicaria a crença de Steve Jobs. Mas, para grande parte dos trabalhadores mortais, a relação entre prazer e fazer é mais conflituosa. “Para a maioria das pessoas, a possibilidade de fazer o que ama é limitada pela obrigação de ter de ganhar dinheiro para sobreviver”, diz Rafael.

As biografias de Jobs mostram que o plano inicial dele e de seu sócio, Steve Wozniak, era vender 100 placas de circuito para uma loja local de informática em Mountain View, na Califórnia. A expectativa era ter um lucro de 1.000 dólares. Jobs entrou descalço no local e ofereceu as placas. O empresário recusou, mas disse que tinha interesse em 50 computadores completos, uma novidade na época. E pagaria 500 dólares cada um. O acordo foi fechado, e assim surgiu a Apple Computer.

Nessa fase da vida, Jobs estava meio desnorteado em relação à própria carreira. Tinha largado os estudos e passava boa parte do tempo meditando. Se ele tivesse seguido o conselho que deu aos formandos de Stanford, talvez não tivesse criado a Apple, mas algum templo zen. O principal problema é que amar o trabalho tornou-se praticamente uma obrigação nos últimos anos, como se fosse o único caminho para o sucesso. “Há um romantismo ingênuo”, diz Eduardo Ferraz, consultor de gestão de pessoas e autor do livro Seja a Pessoa Certa no Lugar Certo (Gente, 25 reais). “Parece uma falha moral a pessoa trabalhar para sobreviver.”
Há quem defenda que a busca de uma atividade que proporcione prazer é positiva quando incentiva alguém a deixar um emprego ruim ou a experimentar mais na carreira. Mas em ouvidos errados pode ser um conselho perigoso. Uma má interpretação dessa ideia pode levar a uma escolha de carreira pouco planejada, como calcular mal a remuneração ou a carga de trabalho de um emprego tido como ideal.

“Pode ser frustrante quando a pessoa não encontra o trabalho perfeito”, diz Cal. Mais importante do que trabalhar com o que se ama é pensar em fazer algo que pode gerar crescimento e, eventualmente, satisfação. “Às vezes, não conseguimos começar fazendo o que amamos, mas temos de ter foco para encontrar o que nos faz crescer e, então, nos aproximarmos do que nos faz feliz profissionalmente”, diz Guilherme Gatti, diretor de marketing para a América Latina da FedEx, empresa de logística, de São Paulo. Boa parte do discurso da paixão pela profissão traz embutida uma imagem estilizada de trabalho, em geral mais agradável do que a realidade cotidiana. O profissional supõe que em um trabalho prazeroso será mais fácil ser feliz ou ficar rico, o que nem sempre é verdade.

“Acho que é preciso questionar mais esse modelo de felicidade e buscar relações de trabalho melhores”, afirma Bárbara Castro, socióloga e professora da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, que questiona até que ponto esse trabalho ideal pode virar um meio de sustento concreto. “A pessoa não precisa se resignar e ficar em um trabalho infeliz para sempre, mas precisa ser crítica quanto às possibilidades de mudança de profissão”, diz Bárbara.


A importância do esforço

Acreditar no sucesso pela paixão tem também o problema de diminuir a importância do mérito e do esforço para construir uma carreira. Fazer o que ama é ótimo, mas não se pode ter a ilusão, ou a falsa esperança, de que basta ter a coragem de mudar para uma atividade amada que o sucesso virá a reboque.

“Gostar do que faz é essencial, mas é preciso estar muito bem preparado para que as expectativas encontrem as oportunidades”, diz Roger Ingold, presidente da consultoria Accenture, de São Paulo. Para Rafael Alcadipani, da FGV-SP, fazer o que ama é um pouco de acaso e bastante de noção sobre as próprias limitações. “Tem gente que ama tocar piano, mas nunca poderia fazer isso profissionalmente.”, diz Rafael.

Na opinião de Cal, o melhor caminho para vir a amar o trabalho é se aperfeiçoar. Primeiro, diz o professor, escolha algo interessante e que ofereça opções de crescimento conforme você for amadurecendo — uma opção mais viável do que ir em busca de um amor verdadeiro. Em segundo lugar, é importante tornar-se um profissional valioso para a empresa e na área em que atua.
“Por fim, use suas habilidades como alavanca para moldar sua carreira em direções que proporcionem satisfação no longo prazo”, afirma Cal. Esse processo leva tempo, mas, segundo o especialista, vai guiá-lo para um trabalho que você ame de forma consistente.

O trabalho ocupa, sim, uma parcela importante da vida de cada um e é fundamental buscar atividades que dão prazer. Mas tem de ser crítico nas decisões de carreira. O profissional deve afastar a ideia ingênua de que uma mudança traz felicidade. E também deve evitar se sentir culpado ou infeliz por exercer um trabalho pouco prazeroso. Na verdade, a melhor estratégia é enxergar o trabalho como parte de um plano de vida, que tenha múltiplas fontes de satisfação além da profissional.
“Quando temos um propósito de vida bem definido, faremos coisas que verdadeiramente amamos e outras que nem tanto, mas que deverão ser realizadas com a mesma energia e dedicação para que o objetivo maior seja alcançado”, diz Carlos Morassutti, vice-presidente de recursos humanos da Volvo, de Curitiba, no Paraná. Pense nisso da próxima vez que estiver infeliz com a carreira.


Fonte: Você S/A

_________________
Imagem

Ausente, porém presente.


11/11/2015
Karma desse Post: 0 
Offline Perfil
Mostrar mensagens anteriores:  Organizar por  
Responder Tópico   [ 13 Mensagens ]  Ir para a página 1, 2  Próximo

Quem está online

Usuários Registrados: Bing [Bot], Google [Bot], MSNbot Media, Yahoo [Bot]


Você não pode criar novos tópicos neste fórum
Você não pode responder tópicos neste fórum
Você não pode editar suas mensagens neste fórum
Você não pode excluir suas mensagens neste fórum

Procurar por:
Ir para:  
cron
Powered by phpBB © 2000, 2002, 2005, 2007 phpBB Group.
Designed by ST Software for PTF.
Traduzido por phpBB Brasil
Extended by Karma MOD © 2007—2010 m157y
phpBB SEO